Sala Virtual

Quando se é Adulto, o TDAH ainda Persiste?

Com a desconfiança de serem portadores do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade/Impulsividade, na maioria homens, decidi escrever para aqueles que buscam respostas para os sintomas como a baixa autoestima, desânimo, falta de confiança em si, inúmeros projetos inacabados, relacionamentos afetivos superficiais, sentimento de raiva das relações na infância e outros sintomas depreciativos. Mas, antes vou pedir que se concentre, mantendo sua atenção até o final. OK? Posso contar com você? Então, vamos lá:

Primeiramente é importante esclarecer que quando se é adulto torna-se complexo o diagnóstico de TDAH porque os sintomas secundários fazem parte de outros transtornos psiquiátricos.

Na maioria das vezes, as queixas e/ou características das dúvidas de ser ou não um portador de TDAH são:
  • 1 – Procrastina as atividades de longo prazo por “achar muito chatas” ou por “exigir mais de si”.
  • 2 – Geralmente é uma pessoa impaciente, se vê em várias situações “a mil por hora”, quando simplesmente é necessário se manter calma, mais observadora, tranqüila…
  • 3 – Se vê interrompendo várias vezes com quem fala, dando sinal de “já sei o que você vai falar” ou “não me interessa o que você está falando”, e estas atitudes complicam as relações de uma forma geral.
  • 4 – As pessoas mais próximas observam que as decisões são tomadas por impulsividade, sem considerar os prós, contras e resultados a serem alcançados.
  • 5– Na vida acadêmica, ou até mesmo na leitura de um livro, percebe-se desconcentrado com freqüência, tendo que reler parte de texto, ou às vezes também acha que já entendeu, verificando-se depois que entendeu errado porque não leu com atenção. Geralmente não lê manual, nem bula porque considera uma perda de tempo.
  • 6 – Percebe-se uma pessoa criativa, de ideias fantásticas, mas tem grande dificuldade de executá-las, mas quando tem parceiros, os projetos se completam.
  • 7 – Sente um prazer intenso pela novidade. Reluta por manter uma rotina.
  • 8 – Quando criança era considerado um aluno com dificuldades de aprendizagem, na leitura ou nos problemas da matemática; ou com problemas comportamentais, como agitação, que atrapalhavam as explicações “intermináveis” da professora.
  • 9 – Tem dificuldade de planejar, organizar e executar metas principalmente as de longo prazo.
  • 10 – Tem um discurso que parece mais uma colcha de retalhos, fala interminável e trocando de assunto tão rapidamente que é difícil de compreender.
  • 11 – Considera-se inteligente e competente para realizar algo que queira muito, e é, mas não sabe explicar o que ocorre que não mantém o foco ou não finaliza os projetos.
  • 12 – Tem dificuldade de relacionamentos afetivos e familiares.
  • E muitas outras características que provocam sentimentos de frustração e até mesmo parecendo autopunitivos.

    O portador de TDAH tem a capacidade de sonhar, de inovar, de construir de forma que é única, é só dele. Por isso, deve procurar ajuda para sair das situações de desconstruções.

    Quando se tem uma resposta do porquê eu não consigo? Descobrir que não é burro, negligente, incompetente, ou até mesmo retardado, este é um especial momento terapêutico que deve ser aproveitado para minimizar os sintomas secundários.

    Exemplifico como aquela pessoa, no passado, que não sabia ser míope, mas este problema gerou dificuldades de aprendizagem e baixa autoestima, na descoberta de que é uma condição neurológica e há solução, simplesmente busca o que se tem a fazer, usar os óculos perfeito por toda vida.

    Reconhecer que das situações-problemas, obtendo o prognóstico, o portador adulto de TDAH terá não só o resgate das oportunidades perdidas, mas outras oportunidades concluídas, o que torna bastante motivador e gratificante o resgate dos projetos de vida pessoal, familiar, social, financeiro, religioso e/ou profissional.

    Agora que conseguiu chegar até aqui, sugiro que visite o link a seguir e responda ao questionário ASRS-18 que foi desenvolvido pela OMS e a versão disponível está validada no Brasil: http://www.tdah.org.br/diag02.php.

    A partir das conclusões, decida por procurar um profissional que conheça profundamente os sintomas do TDAH para obter orientações adequadas, lembrando que o diagnóstico definitivo é clínico, não basta apenas a conclusão das respostas do questionário.

    Boa sorte!

    64 Comentários

    1. Mariana disse:
      19 de abril de 2017 às 4:22

      Eu nem consegui ler esse texto todo… Se vcs conseguiram, vcs não tem TDHA

    2. SILVANA disse:
      12 de abril de 2017 às 16:07

      NOSSA QTA GENTE !!! ESSE TEXTO TB PARECE QUE FOI FEITO PARA MIM, ESSA SOU EU MEU NETO ( JÁ DIAGNOSTICADO) E UM POUCO DA MINHA FILHA TB. É GENÉTICO? VOU PROCURAR AJUDA PQ ESTA ATRAPALHANDO DEMAIS A VINHA VIDA

    3. Maria Teresa Psi disse:
      3 de abril de 2017 às 8:59

      Olá Gabriela, identificar os sintomas numa escala é um dos passos na busca do diagnóstico, mas são necessários outros recursos para se concluir o TDAH. A minha sugestão é que busque um atendimento com profissional que tenha conhecimento do TDAH.

    4. Gabriela Oliveira disse:
      1 de abril de 2017 às 13:51

      Eu tenho todos 90% dos sintomas descritos acima, mas não sou nem de longe agitada, ao contrário sou parada até de mais, porém tenho uma ansiedade descontrolada. Será que que tenho essa doença?

    5. tanto faz. disse:
      12 de fevereiro de 2017 às 19:29

      Tenho todas essas características desde sempre, hoje sou retardado socialmente, por isso não tenho amigos (tento, pois gente precisa de gente, mas não dá certo por muito tempo) êta solidão e sofrimento! não tenho dinheiro para me tratar pois nunca fiz bons negócios, preciso de ajuda mas quem me entende simplesmente rí de mim, igualmente os que não entendem. Na cidade que moro todos sabem de mim apenas por observar-me, provoco risos onde quer que eu vá. Muito difícil e sofrido viver assim. Hoje estou quase na terceira idade, a morte é bem vinda.

    6. Ronaldo disse:
      24 de janeiro de 2017 às 14:21

      Ate choro ao ler de tanto que me identifico com boa parte e ja foram tantos os estragos e coisas que nao consigo me desvencilhar… e sao tantas outras comorbidades que me vejo sem saída e sem esperança… além de nao ter os diagnósticos certos e tratamentos e retornos… queria muito poder falar com você… como consigo? E nem animo e disposição ou conseguir relatar toda a minha historia e com riqueza de detalhes e de forma completa consigo hoje… estou morrendo aos poucos e parado e so retrocedendo e definhando…

    7. Fabio disse:
      19 de janeiro de 2017 às 16:49

      Infelizmente não consegui ler até o final, mal estou conseguindo trabalhar devido a falta de foco em um único assunto.

      Sou gestor de operações e está afetando meu dia a dia.

      Realmente preciso de ajuda.

    8. Simone disse:
      28 de junho de 2016 às 20:58

      Muito eu esse texto.onde procurar ajuda?

    9. João Batista De Andrade disse:
      27 de junho de 2016 às 12:02

      Parece que este texto foi feito pra min?

    10. Katia Caetano disse:
      11 de junho de 2016 às 15:35

      Estava lendo um e-book e enquanto lia senti uma inquietação e pressa de ler logo. Por curiosidade joguei no Google se havia algo a respeito dessa minha inquietação e acabei encontrando seu site. Li toda a matéria e pensei muito no meu passado quando eu estudava, trabalhava… percebi que nunca terminava o que começava, mais sempre estava me busca de algo novo e apesar dos conselhos de amigos eu nunca frequentei uma faculdade por não saber o que queria da vida. Hoje tenho 45 anos e ainda tenho esses dilemas, fiz o teste recomendado e vou deixar aqui o link porque pelo da página não consegui entrar (http://www.abdatdah.info/br/sobre-tdah/diagnostico-adultos.html) e pelas resposta, sim eu tenho grandes chances de ser portadora de TDAH. Isso me preocupa pois minha filha têm muito do meu jeito, e já fui chamada na escola para falar sobre o comportamento dela (agora ela está fazendo uma avaliação com uma psicologa). Quero deixar aqui meu agradecimento por abordar esse assunto que não é comum se tratando de adultos. E vou fazer também uma avaliação com um psicologo, se tiver como quero sim poder me curar e finalmente ter uma vida normal.
      Obrigada!

    11. CINTIA disse:
      29 de abril de 2016 às 16:04

      Olá! Estava pesquisando sobre pessoas com dificuldade de concentração e me deparei com esse site e ao ler esses relatos percebi que tenho a maioria desses sintomas e me sinto muito mal com eles. Sou professora, inteligente, nunca tive dificuldade de aprender principalmente matemática mas… Não consigo ouvir uma pessoa por muito tempo, começo a contar um caso e mudo de assunto umas dez vezes. As pessoas que estão ao meu redor tem percebido isso e tem me falado por isso tenho pesquisado sobre o assunto.

    12. maria disse:
      9 de fevereiro de 2016 às 13:15

      nossa!!!
      acho que tenho tudo isso e mais um pouco, estou com 48 anos e cansada , nunca conseguir terminar nada que começo, uma falta de paciência, não consigo me manter em empregos, sou péssima em tudo, as vezes acho que vou deslanchar, depois vem o desanimo e acaba com tudo.
      tenho uma filha de 22 anos que sempre me deu esse tipo de trabalho desde do inicio qdo começou a estudar, tdos os dias eu era chamada na escola, essa menina já aprontou coisas que até Deus duvida, tem bastante tempo q faço tratamento e nenhum médico descobriu nada , vivo uma vida de inferno constante, hoje ela faz faculdade parasse saber todos os assuntos e depois na prova uma negação, os colegas pede ela para ensinar a eles pq ela sabe mais ela ensina e eles alcançam as melhores nota e ela fica pra tras. final do ano passado resolvir por minha conta procurar um psicopedagogo que vem atualmente acompanhando ela uma vez por semana , ai aplicado todos os testes esse ano foi descoberto TDAH, agora sim encontra em um tratamento correto pra não ser como a min uma frustrada que não conseguiu nada na vida. Agora vai tomar medicação correta trocamos de médicos e tudo esta correndo muito bem, foram feito exames ressonância magnética, eletroencefalograma, eletrocardiograma, exames de sangue todos os exames em geral antes de receitar qualquer medicação graças a Deus todos os exames deram normal.. agora só esperamos que tudo de certo com o uso da Ritalina.
      será usado somente em dia de aulas na faculdade por enquanto.
      vamos ver como irá ficar a concentração.
      quanto a min continuo sofrendo com minha dor e angustias.
      o que eu precisava mesmo era do tratamento pra minha filha , pois eu já não sou mais uma mulher nova.
      Mas ela sim uma jovem com a vida toda pela frente.

    13. Eliede disse:
      20 de janeiro de 2016 às 14:02

      Boa tarde, tenho tido muitas dificuldades desde segundo semestre de 2013 passei muitos problemas emocionais, uma colega psicóloga falou que pelo sofrimento posso te desenvolvido uma TDAH. Nos dois últimos semestre estudo estudo na hora de fazer, me saí mal fico tristeza só notad vermelhas. Me ajude alguém da O
      MS.

    14. José Olimpio Cavalcante Filho disse:
      19 de janeiro de 2016 às 14:44

      FAÇO D0S COMENTÁRIOS DE TODAS AS PESSOAS QUE EXPRESSARAM AQUI NESTE SITE AS SUAS ANGÚSTIAS, AMARGURAS E FRUSTRAÇÕES COM RELAÇÃO AO “TDAH” AS MINHAS PALAVRAS.
      PASSEI POR ISTO A VIDA INTEIRA, APESAR DE MUITO ESFORÇADO TINHA GRANDE DIFICULDADE DE CONCENTRAÇÃO, MINHA MENTE ESTAVA SEMPRE EM FUGA DE GRANDES CONCENTRAÇÕES E ROTINAS, NÃO SABIA QUE O NOME DISSO ERA ” TDAH “, DESCOBRI ISTO LENDO ESTE ARTIGO.
      NUNCA TIVE AS MELHORES NOTAS TAMBÉM, ESTAVA SEMPRE NA MÉDIA, NUNCA TIVE UMA MEMÓRIA EXCELENTE, EMBORA CREIO QUE O RACIOCÍNIO FOSSE BOM.
      NÃO CONSEGUI IR EM FRENTE COM UMA FACULDADE, FIZ ALGUNS CURSOS TÉCNICOS. VEJO PESSOAS QUE LEEM LIVROS POR PRAZER, TENTO FAZER O MESMO, MAS NUNCA CONSIGO LER UM LIVRO ATÉ O FINAL, DESISTO.
      HOJE TENHO 59 ANOS, SEMPRE INVENTO ALGUMA COISA PARA FAZER, MAS AINDA ME SINTO FRUSTRADO POR NÃO TER PERCEBIDO, SENTIDO E FEITO A ESCOLHA CERTA NO TEMPO CERTO, MESMO COM AS MINHAS DIFICULDADES. PODE ME DIRIGIR ALGUMAS PALAVRAS…

    15. Marília disse:
      23 de dezembro de 2015 às 3:32

      Essa doença é muito difícil de tratar, conheço uma pessoa que se encaixa nesse perfil, não consegue terminar tarefas, planejamento até existe mas na hora de colocada lo em prática ocorre algum e troca de decisão. Não consegue estabilidade financeira por conta do tdah. Sofre muito com tudo e os familiares nao entendem porque do seu fracasso profissional, acham que ela não tem inteligência. É difícil lidar com essas situações pois vejo ela sofrer mais não sei a forma de ajudar. Pois isso está em seu cérebro sendo uma constante, sempre irá lutar contra as decisões e os problemas do dia dia. Como.o amiga vejo essas situações de mãos atadas. Percebo que ela é depressiva por se não realizar seus. Sonhos mas não consegui terminar seus projetos. Fiquei curiosa com a doença Porque será que a falta de objetivo é um problema grande? E a falta de organização?

    16. Samantha disse:
      23 de dezembro de 2015 às 3:18

      Bom estou muito preocupada, não consigo focar em algo, tudo se torna muito difícil para mim, foi formada como técnico em segurança do trabalho porém não consegui exercer a profissão na época, acabei indo para outra área técnica de enfermagem, já concluí quando fazia o curso eu me dedicava muito aos estudos mesmo com todas as dificuldades, agora não sei o que ocorre quero fazer outra coisa um outro curso. Não consigo entender o que ocorre comigo. Pelo meu cv tenho muito qualificação mas parece que quando termino algo começo outro. Além dessas formaçãoes já fiz curso superior não concluído de redes e radiologia.

    17. Thiago Rodrigues disse:
      3 de outubro de 2015 às 20:47

      Boa noite Moro em Recife 19 anos Bom Numca tive uma boa educação em casa não sei nem por onde começa sempre vivi minha vida Normalmente achando ser uma pessoa Normal numca tinha ouvido falar do TDAH DDA a os 18 anos começei acha que avia algo de errado comido em ver meu amigo aprendendo muintas coissas que eu imaginava numca aprender por conta da minha memoria desatenção aos 19 anos começei a usa droga é sentir uma diferencia em mim resolvir mem conhçer por que nem a mim mesmo eu conhecia praticamente começei a fazer umas pesquisas sobre mim oque sentia o por que cheguei a um post sobre o TDAH é começei a ver que aquilo batia comigo é tabem cheguei a uma conclusão quando tava drogado os sintomas a maconha deu uma retardada no cerebro é conseguir organizar meus pensamentos mater uma ordem dependo a natural começei a achar realmente que eu pressisava dela é só usava por que Realmente conseguia me senti uma pessoa Normal Mais é uma ilusão durante a sensação bem Mais cada vez mais retarda o crecimento do cerebro que finaliza 18 a 24 25 anos no maximo é a fome que só sente depois do uso da mesma ficandl cada vez mais esquisofrenico Resolvi da um basta pesquisei muinto sobre tdah muintas coissas deram um upgrade no meu pessimismo pior coissa é saber que não tem cura é os preços dos remedios são muinto altos jà me senti um invalido um lixo ir no mercado é uma tortura ajente acaba levando muintos nomes. Numca gostei de pedir ajuda a niguém só a Deus essa duença pra mim como considero por conta da produção de dopamina que é meno em fim impossivel resolver so logicamente tou aprendendo tabem a entender meus limites alguém afim de falar sobre wats (81)986034153

    18. André Luiz Silva dos Santos disse:
      29 de setembro de 2015 às 10:16

      Foi constatado que eu tenho o diagnostico de TDAH e preciso urgentemente fazer algo que possa me ajudar a sair dessa, mais sei que para esse tratamento é difícil pois no momento estou afastado e sem receber do INSS, tem algumas coisa que possa me fornecer para que eu consiga esse tratamento gratuito. pois cada sessão é de 200,00 a cada 50 minutos.No meu caso seria no minimo 12 sessão.
      Por favor me ajudem a solucionar este problema o mais rápido possível. Desde já agradeço em tirar minhas duvidas.

    19. Felipe disse:
      3 de setembro de 2015 às 17:28

      eu tenho quase certeza que tenho isso pois tenho quase todos os sintomas
      mes passado passei no psicólogo na hr que falei que acho que tenho tdah (só lembrava de 3 sintomas kkk) ele me olhou com aquela cara de desconfiado mas ira fazer um teste pra ver se é isso mesmo

    20. Clarisse disse:
      17 de agosto de 2015 às 3:31

      Li seu artigo procurando por alguma solucao .
      Tenho DDA e gracas a Deus descobri que esse era o meu problema e que todos os sentimentos ruins que tive de mim mesma por toda a minha vida nao condiziam com a realidade. Hoje me sinto em parte feliz por saber que tenho essa disfuncao e nao e uma questao de falta de capacidade ou inteligencia.
      Mesmo assim , meu maior problema ou….o que mais me incomoda eh a comunicacao. Como vc descreveu bem meus dialogos sao uma colcha de retalhos . Mesmo que eu tente nao me exprimo com clareza e minha familia fatalmente vai perguntar sobre o que estou falando. Alguns acham graca e o ambiente fica leve e contornavel mas em outros casos nao , fazendo que eu me sinta inadequada e com vontade de me calar . Fico tensa e triste . Teria alguma solucao especifica para Isso? Segui outras ideias para a minha distracao com bilhetes coloridos e lugares marcados para colocar telefone ou algo assim e ajudou mas qto a comunicacao ……..
      Sinto que nao posso relaxar porq fatalmente irei fazer comentarios inadequados ou misturar dois assuntos em uma mesma frase porq meus pensamentos atropelam a logica.
      Tenho um filho adulto que tambem tem ADD mas ao menos esse problema nao eh tao grave . Ele se comunica bem sendo extremamente distraido se o assunto nao lhe interessa.
      Se puder me ajudar com alguma dica agradeco
      Grata

    21. Aparecida disse:
      12 de agosto de 2015 às 15:14

      Acabei de encontrar minhas caracteristicas. Sou uma pessoa agitada e tenho muita dificuldade no aprendizado. Leio e releio quase 2 vezes uma frase para entender -la, enquanto outras pessoas já tem o entendimento na primeira leitura. Quando as pessoas estão falando, as vezes interrompo e quando vejo, a pessoa não queria falar exatamente aquilo que meu raciocinio estava pensando e ai vem a vergonha. Quando estou explicando algo, me perco varias vezes e acaba não tendo sentido minha explicação. As vezes são coisas simples, mas começo a embolar as frases por medo de errar e acabo errando. Tenho insegurança total no que eu mesma faço. Acredito que esses sintomas do TDAH?

    22. Maria Clara disse:
      30 de julho de 2015 às 16:10

      Lir o artigo e as características acima em relação as minhas se assemelharam muito, porém algumas das características citadas são ao contrário, como por exemplo, sou uma pessoa calma desde de criança, tenho bom relacionamento com os meus amigos e familiares e também falo muito pouco,ás vezes em alguma situação quando é preciso expor minha opinião sobre algo surge um branco.
      É possível eu ter o TDAH mesmo com essas características ao contrário das características premeditadas?

    23. edson disse:
      31 de maio de 2015 às 1:39

      Desde pequeno tenho frustrações em todos os campos possíveis, com minha mãe, pai e irmãos, tenho em mente que muitas das vezes é por déficit de atenção e um raciocínio lento. não consigo focar em nada, sempre quando tento me da agonia e acabo parando ou então me distraio com outra coisa e acabo não aprendendo, isso acontece desde pequeno minhas relações são bem difíceis, pois não consigo ter uma conversa bacana e continua com as pessoas!

    24. Aninha disse:
      10 de maio de 2015 às 0:26

      Boa noite pessoal,li este artigo e me vi dentro desta leitura. As pessoas me dão recados e tenho dificuldades em memorizar, repito as mesmas falas no decorrer da conversa, e mais,quando chego em casa quase nem durmo por conta desses “atropelos”.

    25. Salt disse:
      22 de abril de 2015 às 14:22

      Boa Tarde!
      Acabei de ler esse artigo, e sinceramente fui descrita em 98% dele. O link do questionário sugerido não abriu, no entanto não tem nenhum problema. É fato que com características identificadas, não me resta dúvida que preciso urgentemente de um especialista nesta área. Por onde posso começar? Qual o profissional indicado para iniciar minhas buscas? Desde já muito obrigada por esse artigo esclarecedor. Abraço.

    26. ze disse:
      3 de abril de 2015 às 3:48

      Bem terminei dois cursos que queria um médio e outro superior porém sinto-me morto intelectualmente e não tenho boas expectativas quanto ao futuro no mercado, não me considero burro ou com tdha pois acabo de terminar o segundo curso superior e tenho grande facilidade de aprendizado sobre tudo quando vejo a pessoa fazendo algo me adapto velozmente porém sinto que tenho muita mais muita dificuldade em retoma um caminho que sempre imaginei que poderia ser pra mim que a área de exatas, simplesmente encaro não como uma barreira e sim como uma muralha da china algo praticamente intransponível, ou seja minha frustração por assim dizer é nunca ter me tornado um programador exímio em linguagens computacionais exatamente por que não tenho prazer na matemática, dito tudo isto não acredito que eu tenha tdha pois todos os cursos que fiz estão relacionados entre si para um proposito bem claro que tinha na mente, porém devido ao mercado nacional estar ruim me sinto frustrado, sim que talvez eu tenha um poco de Dtha devido ao fato de não consegui superar minha situação atual de preso em algo sem poder alçar novos voos devido ao fato de não ser tão bom como deveria ser, nesse ponto me sinto limitado na cognição ou seja um pouco retardado.

    27. SIVONILDA SANTOS DE SOUZA disse:
      16 de março de 2015 às 11:16

      Bom dia.Conhecí uma pessoa e estou me encaminhando para o segundo casamento.existe uma incompatibilidade muito grande entre agente, porém o amo muito e como foi enviado por Deus eu creio na felicidade e que vamos ser felizes.Ele está sendo um desafio prá mim, sou recém formada em pedagogia e não sei como ajudá-lo.Não concluiu os estudos, parou na quarta série e a bagagem dele é bem pobre.Como educadora ver o português sendo atropelado por uma pronúncia errada e mau colocada mim incomoda muito e eu o corrijo o tempo todo, tenho medo de estar agindo errado, suponho que ele tenha muitos traumas passados que ocasionou o problema de aprendizagem, é incrível parece que ele estava dentro de uma bolha.Me oriente por favor, envia no meu email.

    28. anonimo disse:
      5 de janeiro de 2015 às 17:48

      não tenho amigos por ser impulsivo, não ser capaz de não falar e não conseguir controlar meu comportamento ou personalidade…

      sempre falhei em tudo, escolas, trabalhos. não consigo parar para estudar, treinar ou exercitar qualquer habilidade que eu queira, meu cerebro rejeita e não me permite aprender ou melhorar nada!

      minha infancia e adolescencia foram um vomito, e mesmo com 18, eu ainda dependo dos meus pais.

      por causa disso tudo, eu criei ambições, e tenho um plano para alcançar cada uma delas (a unica merda que eu consigo fazer, linha do tempo futura = encher papeis de passos e aprimora-los, faço desde os 12, nunca deu certo!) – mas eu duvido que eu vá conseguir sem me tratar. porem se eu me tratar? eu perco a minha capacidade coagnitiva superior? ou a minha criatividade? ou até mesmo fico desmotivado para concluir minhas ambições?

    29. Leonardo Silva de Oliveira disse:
      20 de dezembro de 2014 às 16:21

      Boa Tarde Maria Theresa,
      Estive lendo o postes de todos aqui e vejo o quanto tenho relação forte com cada comentário. Percebi que tinha TDAH quando comecei num trabalho a errar coisas bobas em uma planilha Excel. Ele disse que talvez fosse por falta de atenção e foi aí que comecei a ficar preocupado e pesquisei sobre o assunto. Quando li na internet sobre o TDAH parecia que a minha vida estava naquela texto, desde a infância até hoje. Minha família e da área de Enfermagem e tem grandes amigos e amigas Médicos e Médicas na área de Neurologia, é uma dessas, muito compete na profissão e no assunto, me diagnosticou com TDHA e me receitou a tomar TROFANIL incialmente com 25mg e chegando a dose necessária que 75mg. Então inicei, deu uma melhorada, mas continuo com dificuldades com relação aos estudos. Nunca fui um CDF, minha notas na escola sempre foram dentro da média. Vou fazer 7 anos no curso de Engenharia, cujo o tempo médio é 5 anos e meio. Muitos dos meus colegas já se formaram e eu não consegui ainda. O que parece é que quanto mais quero concluir o curso, mais longe eu fico e dai vem os sentimentos de frustração, derrotado, vontade de abandonar td. E até mesmo me classificar como BURRO, pois vejo as pessoas avançando e eu ficando para trás. Solicito uma orientação do que fazer,pois já estou com 33 anos, idade que era para estar bem resolvido profissionalmente, e estou perdendo oportunidades.

    30. Sergio disse:
      20 de dezembro de 2014 às 13:54

      Maria boa tarde, tudo bem?

      Sempre me achei preguiçoso para estudar, mas quando eu era mais novo conseguia prestar atenção nas aulas e tirar notas médias, com o passar do tempo fui ficando com dificuldades de prestar atenção no que as pessoas falam, principalmente quando relacionado a estudos. De um ano e meio pra cá voltei a estudar, fiz um curso técnico em linguagem de programação, mas sai do curso me sentindo como se não tivesse feito, consegui um emprego na área de TI mas me sinto frequentemente ameaçado por não ter confiança em mim mesmo, ter preguiça de fazer serviços mais complexos e muitas vezes por me sentir burro. Vejo pessoas a minha volta mais novas que parecem ter grande facilidade em entender processos mais complexos que eu levei muito tempo para entender e que não tenho coragem de fazer por medo de fazer errado. Por esses dias realizei minha matricula na faculdade, mas já estou com medo de sair de lá do mesmo jeito que vou entrar. Hoje tenho 29 anos e estou começando a ficar desesperado, consegui entrar para a área que queria mas vou continuar vendo as pessoas a minha volta crescerem e eu continuar no mesmo lugar.

    31. Talisson disse:
      2 de novembro de 2014 às 17:23

      Boa tarde!! quando as pessoas falam comigo tenho dificuldade pra entender , não é falta de atenção, sempre tive isso. Até nas minhas aprendizagens de escola é assim , o professor explica e nada a mente, quando eu ia a escola eu estudava muito e na hora da prova tirava aquela nota de decepcionar, nas apresentações quando se tratava de decorar , só conseguia decorar 2 linhas na hora esquecia… ler livro , eu leio 1 2,3 o mesmo texto não entendo..
      Tem outro caso , quando uma pessoa conversa comigo, fala pra deixar o recado pra tal pessoa , aí tá, ‘NÃO ENTENDI NADA”
      O enem tá chegando.. e eu com essa dificuldade de concentrar, de memorizar. ta difícil , quero saber o que eu tenho, como tratar isso? é uma doença ? como
      melhorar? tem dicas, qualquer coisa

    32. Maria de Fatima Medeiros Terto disse:
      19 de outubro de 2014 às 18:14

      Olá Maria Tereza, Gostei muito do texto!
      Bem, estou cursando o terceiro período de um curso a distância e estou tendo muita dificuldade de aprendizagem. Me dedico bastante e não estou tendo um bom desempenho nas provas. Estou muito decepcionada comigo. Como uma pessoa estuda de 5 a 7 horas por dia e não consegue ter um bom desempenho? Por que muitos colegas que não tem tempo para os estudos conseguem aprender muito mais? Vou procurar um profissional para entender o que está acontecendo comigo.
      Obrigada pelas orientações.

    33. Leonardo disse:
      19 de agosto de 2014 às 20:50

      Passei pelos mesmos problemas descritos no artigo ! Hoje com 35 anos não consigo me sentir como um adulto , o que devo fazer para mudar esta situação

    34. Sandra disse:
      13 de agosto de 2014 às 11:04

      Desde criança, quando comecei a estudar sofria muito, pois tinha dificuldade em entender matemática, os textos e leituras eu tinha que ler muitas vezes para entender do que se trata.
      Sempre sonhei em ser alguém, e pra provar pra mim mesma, fiz um curso técnico, era para ser dois anos, mais com muita insistência minha eu terminei em quatro anos o que parecia fácil para meus colegas, para mim era muito mais difícil,o fato é que este problema me afeta em todas as áreas da minha vida inclusive no trabalho, estou com 36 anos e não sei como lidar com isso, fico nervosa, ansiosa, faço as coisas na impulsividade, as pessoas me falam que sinto dificuldades em aprender, estou tentando entender o que eu tenho e se posso melhorar.
      Obrigado pelo empenho em ajudar pessoas como eu.

    35. valdirene disse:
      24 de julho de 2014 às 12:44

      Ola Maria Tereza,
      Não sei se esse seria o meu problema, mas eu preciso de uma explicação para esse meu mal,sou casada a 16 anos tenho dois filhos e sou funcionária publica.segundo os meus colegas e eu também reconheço que sim, desenvolvo a minha função perfeitamente e rigorosamente bem. mas quando se trata de um projeto pessoal, vem a catástrofe sei fazer bolos salgados doces de boa qualidade fis um projeto para comercializar ai quando passa uns três meses vem o desanimo a medo e se tem uma encomenda grande é pavor mesmo com palpitações e vertigem, sei que tenho como fazer que posso e não pego o contrato. idealizo tudo na cabeça e no papel mas na pratica. sou uma sonhadora acordada ou doente.
      preciso de um tratamento e como e onde encontrar.

    36. Matheus disse:
      29 de junho de 2014 às 20:31

      Olá!

      Tenho 26 anos e o TDAH me “assombra” desde criança. Na verdade, não lembro de ter sido diagnosticado por nenhum especialista em si, mas minha mãe, que sempre achou estranha minha dificuldade extrema na escola, fora os problemas de relação com os colegas de classe e professores, passou a pesquisar sobre o assunto quando eu tinha por volta dos 11 anos e disse que eu me encaixava dentro dos sintomas.

      Era uma criança literalmente impossível e agitada.
      Minha mãe chegava ao ponto de cair em prantos e implorar pra minha pediatra receitar algum tipo de calmante pra me abrandar. Comecei a sentir mais dificuldade na escola por volta da quinta série.
      Mas já nos anos anteriores demonstrava ser uma criança inquieta e extremamente distraída. Sofri na mão de muitos professores que entendiam meu jeito “avoado” como preguiça ou desleixo, e lembro até hoje em como minha mãe frequentemente brigava com alguns professores meus por causa disso.

      Uma das piores coisas é que a maioria das pessoas em sua volta não sabe o que é isso, e quando é explicado, acham que é pura “frescura” ou “desculpa esfarrapada”.

      Na minha vida pessoal, isso atrapalha muito. Os meus poucos amigos gostam de mim, mas porque custaram a entender o meu jeito sarcástico. Tenho um namorado já faz sete anos, mas só consegui manter a relação pois ele é uma pessoa muito, mas muito paciente mesmo.
      Perdi a conta de quantas vezes ele teve que engolir meu jeito agressivo e grosseiro.

      Trabalhei por um bom tempo em uma empresa, mas só me mantive lá porque o trabalho era rotineiro, então com o passar do tempo, me acostumei aos procedimentos e consegui ir levando, mas depois depois de quatro anos, entrei numa depressão profunda, pedi afastamento médico e quando voltei, me mandaram embora.

      Fiquei quase três anos desempregado e só agora arrumei um novo emprego, mas já estou sentindo o peso do TDAH na minha rotina… Tenho um sério problema em ficar quieto na minha mesa, organizar as minhas planilhas e anotações e me relacionar com os colegas de trabalho…

      A escola sempre foi um pesadelo… Nunca fui um aluno de boas notas… Aliás, minha principal dificuldade sempre foi nas matérias consideradas exatas(matemática, física e química) onde só conseguia passar de ano através de conselho de classe. 😛

      Comecei a minha faculdade com muito desgosto (praticamente obrigado), e isso depois de tentar vários vestibulares para universidades estaduais e federais sem sucesso. Já tranquei o curso uma vez, mas voltei e agora estou penando pra terminar.

      A ‘hora de estudar’ ou ‘fazer tarefa’ sempre foi uma tortura pra mim desde criança. Até hoje é assim! Agora mesmo, eu deveria estar fazendo um trabalho e tô aqui, lendo e comentando sobre algo que não tem nada a ver com a matéria que estudo! hahaha

      Mas sério mesmo, apesar da minha concentração ter melhorado um pouco, ainda acho que TDAH me atrapalha muito. Posso dizer que muito desses problemas que eu enfrento e já enfrentei tem relação direta a esse transtorno. Passei por um período muito difícil nos últimos quatro anos, que é a idade que começam a vir as maiores responsabilidades e a pressão em volta cresce por isso (te cobram independência, responsabilidade, uma carreira profissional, etc).

      Falta de auto-estima é um caso sério pra mim…
      Acho que muitos aqui concordam que depois de um tempo é frustrante ver pessoas a sua volta evoluírem em determinados aspectos da vida, enquanto você se sente “atrasado” e isso acaba por desencadear sentimentos horríveis como a inveja, o rancor, a frustração, a revolta, entre outros…

      Enfim, mesmo com tudo isso, resisto a idéia de um tratamento, mas estou criando coragem… Temo principalmente em relação a medicação, que ouvi dizer que é forte e trás uns efeitos colaterais graves. Mas pretendo ir atrás e me informar melhor.

    37. Mary Helen disse:
      22 de junho de 2014 às 9:29

      Olá! Bom dia a todos!
      Pelo que li aqui, percebi que meu comportamento pode encontrar lugar nos sintomas de TDAH. Interessante que estou prestes a fazer seis provas (faculdade), são as últimas provas do período e até agora, ainda, não consegui que concentrar nos estudos… Então, resolvi pesquisar, por que tenho dificuldade com rotina, concentração e meu coração fica sempre agitado quando preciso fazer essas coisas? Sou esposa, mãe de um casal de seis e quatro anos, aluna (estudo em dois turnos), entre outras atividades e sou super ansiosa e impulsiva. Em geral, percebo que o que meu marido reclama em mim, tem tudo a ver com esse post! Uau! Já tive depressão, ainda, solteira e agora casada, percebo ter sintomas TDAH. Sou um tanto desorganizada, mas, não tenho problema com finanças, porque, pedi ajuda ao meu marido (o que fez uma enorme diferença na minha vida), entretanto, só estudo na última hora e debaixo de muita ansiedade, desconcentração e nervosismo, além da dificuldade absurda de manter uma rotina que me favoreça tanto quanto minha família! É uma loucura! Obs.: preciso de ajuda sim, mas, no momento não tenho grana, nem tempo para fazer análise.

    38. Cristian disse:
      18 de junho de 2014 às 14:04

      Olá, tenho 34 anos, e sou casado. Minha esposa certa vez me falou sobre TDAH, eu refutei achando que era outra coisa (talvez TOC), aliás várias vezes que ela fala algo, se não esqueço o que falou, eu reclamo sem pensar nas consequencias. Adiei muitas coisas, me baguncei financeiramente, e até mesmo um simples curso de inglês auto didata não consegui levar adiante. Todos os dias vivo preocupado com várias coisas, a maioria impossível, quando não vivo “viajando na batata”. E quando tento me concentrar em algo, sempre tem algo que me tira a atenção. Enfim, acho que muita coisa dita aí tem a ver comigo. Nesse momento sinto uma culpa danada porque estou prejudicando a minha família, que nada tem a ver com isso.

    39. July disse:
      17 de junho de 2014 às 23:14

      Oi, Tenho 34 anos, descobri que tenho DDA a pouco tempo, sempre senti que tinha alguma coisa errada comigo, quando comecei a pesquisar e ler sobre o assunto fez todo sentido, sempre me achei a pior de todas , tenho problemas sérios com esquecimentos , distrações, impulsividade, falas de memória, procrastinação e outros .
      As vezes minha vida fica um caos. Isso me gera muita ansiedade…

      Agora que eu se, estou tentando lidar comigo mesma de forma mais paciente , estou tentando manter uma agenda, fazendo listas e cronogramas, na maioria das vezes consigo cumprir, outras vezes consigo, mas isso tem ajudado a organizar minha cabeça , tenho procurado ter mais paciência comigo diante dos desafios do a dia e me dado parabéns quando consigo fazer as pequena coisas, tem coisa que para as outras pessoas são simples de realizar mas para uma pessoa com DDA são terríveis, rsrsrsr então tendo aprender cada dia. Gostaria de conversar mais sobre isso com alguém, que quiser conversar eu topo.

    40. Michael Souza disse:
      10 de junho de 2014 às 13:42

      Tenho 21 anos, e acho que tenho TDAH, não consigo manter o foco na faculdade, na escola já era assim, porém não tão frequente. Não consigo estudar direito, perco a atenção e quando percebo ja não estou entendendo mais. E isso está me custando muito na faculdade

    41. Tom disse:
      10 de junho de 2014 às 0:07

      Ninguém entende oque temos e oque sentimos,,, eu falo que sou diferente, oque eu tenho (TDAH) e ninguém entende. Hum exemplo para eu escrever isso aqui eu to demorando o maior tempo pq eu paro e fico pensando em outras coisas que não tem nada a ver, meu celebro não para e a mil por hora… affs vai entender… tem horas que nem eu msm não me entendo…

    42. Rosicler V Ch disse:
      27 de maio de 2014 às 14:15

      Boa tarde queria saber qual médico preciso ir tenho 34 anos e não consigo me manter em nenhum empregado.

    43. Henrique Mendes Silva disse:
      9 de maio de 2014 às 21:33

      O TDAH é meu inferno em vida.
      Ele drena toda a minha capacidade de reação,frente os problemas e desafios,impostos pela vida.
      Ele arruinou a minha vida profissional,instalou em mim quase um pânico em relação a minha vida,em relação ao futuro.
      Daí,não consigo fazer nada,pois protelei por ser fraco aos problemas que me abatem.
      Há momentos em não vejo nenhuma esperança para a minha vida.
      Mas sei que,é preciso saber enxergar o problema que aflige,de longe,fora do emocional. Procurar resolver problemas complexos por partes,organizar a vida pessoal e profissional,’sacudir a poeira’ e adquirir mais confiança.
      Ter capacidade de ser forte,confiar na fé(ou espiritualidade),em seus projetos,ver onde errou,corrigir e não cometer o mesmo erro.
      Perceber que,por mais desafios e dificeis sejam os seus problemas,há pessoas todos os dias,vencendo,lutando e mesmo que os caminhos sejam por percalços,não PENSAM em desistir!

    44. Tiago disse:
      7 de maio de 2014 às 23:49

      Fui diagnosticado com TDAH, gosto de conhecer pessoas que compartilham comigo do mesmo transtorno, assim não me sinto tão diferente das outras pessoas, geralmente somos rotulados como desorganizados, negligentes, desinteressados e descordenados. Os “normais” não entendem!

    45. Helaine disse:
      1 de maio de 2014 às 13:46

      Alguém tem o arquivo do questionário ASRS-18 que foi desenvolvido pela OMS e a versão disponível no link: http://www.tdah.org.br/diag02.php.”
      salvo no pc e poderia enviar para meu email,pois não consigo acessar o link.
      Meu email é; helaineeborgesufsj@@hotmail.com
      Desde já.Obrigada

    46. Tatiane Cristine disse:
      7 de abril de 2014 às 13:50

      tenho 35 e nao consigo, e ainda não tenho certeza se realmente sou portadora do tdah. mas pelos depoimentos e pelo teste, estou percebendo que preciso de ajuda, mas não tenho coragem de conversar com ninguem sobre isso, pois podem achar que estou maluca. tudo que começo não consigo terminar ou simplesmente da dando certo e na hora que ta bom eu paro ou enjoo, ja tive varias profissões, meus amigos falam vc tem talento, mas não consigo firmar em nada, nada que caia na rotina por mais de 6 meses eu já começo a desenteressar e fico estacionada. tento por várias vezes melhorar por min mesma e não consigo e isso me consome , me deixa irritada, ansiosa, com variações de humor, e me preocupa por demais, pq como me preocupo com o trabalho fico com medo de me prejudicar no meu casamento. não sei o que fazer, podem me ajudar. grata

    47. Roberto Jr. disse:
      24 de março de 2014 às 10:34

      Alexandre Gomes, tudo bom? E qual profissional você se consultou para ter esse diagnóstico que comentou? Gostaria muito de saber. Meu e-mail é betofabeni@terra.com.br. Abraço e obrigado.

    48. jr disse:
      7 de março de 2014 às 17:16

      qual a especialidade do médico que devo procurar para descobrir se sou portador de TDAH?

    49. Alexandre Gomes disse:
      16 de dezembro de 2013 às 15:30

      Olá.
      Tenho 38 anos e fui diagnosticado há cerca de um mês com TDAH de tipo combinado com ´´leves traços´´ de bipolaridade.
      Nunca consegui me concentrar em nada, projeto algum. Entrei em quatro faculdades e em todas em diferentes cursos. Não completei nenhum curso. Aliás nem o primeiro periodo cheguei a completar.
      Pensei várias vezes em voltar para a faculdade, mas a certeza de uma nova desistência, mais um fracasso me faz desistir, e não ter a mínima ideia do que fazer. nem sei o que eu gostaria de fazer.
      Minha vida tem sido uma sucessão de fracassos ou insucessos(uma forma mais suave)em todos os sentidos.
      Larguei um bom emprego em uma boa empresa e fui morar fora. Minha impulsividade, falta de paciência e de saber me planejar..
      E assim fiquei por mais de dez anos.
      Retornei há cerca de três anos. Me separei depois de doze anos de casado e um filho hoje com onze anos. Doze anos de problemas, em sua maioria causados por mim. Pelas minhas alterações de humor, ansiedade, impulsividade. Manter um relacionamento para mim sempre foi um trabalho hercúleo.
      Me casei de novo e hoje tento não repetir os mesmos erros, mas na maioria das vezes saio vencido pela minha fraqueza.
      Hoje tenho um bom trabalho e até muito boa remuneração se comparada a minha formação(apenas o ensino médio).
      Mas já estou na corda bamba. Motivo. Minha baixa produtividade e avaliação.
      E o pior é que tenho consciência disso. Mas não consigo ser diferente. Tento..Mas adivinhe? Esqueço..
      Aliás, esquecido. Esse deveria ser o meu sobrenome. E o nome falta de concentração, foco.
      Me desdobro em mil tarefas. Na maioria não consigo completar nenhuma, e quando consigo é insatisfatório.
      Hoje me sinto um derrotado, fracassado e incompetente, minha alto estima está a sete palmos debaixo da terra.
      O diagnóstico veio lançar uma luz no fim do túnel para mim. É como se dissesse para mim mesmo que eu afinal tenho salvação.
      Foi apenas um primeiro e pequenino passo.
      Tento me agarrar a algo que me dê motivação. Só não desisti por completo não foi por mim, mas pelo meu filho e esposa. Mas principalmente por ele. Ele precisa muito de mim. E preciso estar bem.
      Ter fé ajuda. mas não em uma religião, mas fé em si próprio, de que é capaz, que consiguirá. Ainda estou a procura desta fé.
      Abraços,
      Alexandre.

    50. Guilherme disse:
      29 de novembro de 2013 às 15:32

      Ola Maria Teresa,
      Tenho 22 anos, moro em sao paulo capital,
      Vejo aqui toda a frustrção e descontentamento dos portadores da doença.
      Descobri que era portador no meu 1º ano de Ensino Médio.
      Começando o tratamento quando tinha ja 16 anos.
      Nao tenho certeza, mas acho que sofro de Bipolaridade, Talvez causada pelo TDAH.
      Seria interessante se o site tivesse um debate onde os portadores (ou nao) pudessem se comunicar.
      Realmente nossa vida é um pouco confusa de se entender, ja me vi frustrado inúmeras vezes, e sei que vou me frustrar em muitas ainda.
      Vivi experiências de superdosagem da medicação, combinadas com alcool e drogas.
      Sempre fui o anti social na escola, nao gostava de multidao, da “modinha” e aqueles que seguem a mesma onda.
      No entanto no ano de 2012 (novembro), assumi uma relação com uma menina maravilhosa. Esperta, Bonita e Simpatica.
      Com minha auto estima na sua melhor forma possível, resolvi parar com a medicação ( que estava tomando antes bem erradamente por sinal: so tomava qndo sabia q teria alguma festa, prova na escola/faculdade e ou evento, e precisaria me socializar melhor com as pessoas ou prestar mais atenção nos estudos)
      Tive problemas nesse relacionamento de ciumes excessivo, intolerancia possesão e criar hipoteses demais, irreais ou reais, na minha cabeça.
      Para resumir, o namoro foi sendo levado a brigas ate que em novembro deste ano terminou.
      Como portador, me vejo frustrado sim…mas por outro lado tenho muita fé em Deus, vou à igreja as vezes. Nao desisto nunca da fé, fe em Deus Foco e Muita Força de vontade, eu realmente queria dar, receber e compartilhar algumas palavras com as pessoas q postaram suas indignações aqui.
      Nao quero converter ninguem, rs !
      Mas nós, mais do que todas as outras pessoas, precisamos ter fé em alguma coisa, qualquer que seja suas respectivas religioes.
      Meus pais, sabem q eu tenho a doença, mas no tempo deles nao se tinha a medicação e tratamento, como temos hoje em dia entao eles ainda nao entendem muito o que se passa.
      Agora que terminamos o namoro voltei com a medicação, e nada me deixa mais depressivo em saber que eu nao consigo os mesmos resultados sem usá-la.
      Voltamos a etapa da fé, queria dizer para algumas pessoas um pouco da vivencia que eu tive, sou novo, novinho rs, mas ja vivi muita coisa e hoje em dia sobreviver em são paulo eh dificil para qualquer um.
      Dificuldades todos temos, mas nos TDAH so nao sabemos lidar com elas direito, tbm nunca me interessei por livros, leitura em geral, mas nos ultimos anos venho lendo varios artigos sobre TDAH, com muita atenção por sinal.
      Tenho fé que vou conseguir vencer na vida, com ou sem metilfenidato, vai ser mais dificil para nos, mas a vitoria sera muito mais saborosa.
      Acho que boas amizades e a uniao e entendimento da familia podem ajudar em muita coisa, como vem me ajudando.
      TEMOS QUE ACHAR AQUELE AMIGO QUE NOS DE OS CONSELHOS CERTOS, QUE CONSEGUEM RELAXAR A NOSSA CABEÇA, e nos fazer pensar 2 vezes (que na maioria das vezes nao fazemos).
      Nao quero parecer programa de fofoca da tarde (rs) mas;

      PATRÍCIA:

      Querida Patricia,li sua historia aqui, sei que se casou por amor, afinal se fosse por qualquer outra coisa vc nao estaria buscando ajuda aqui com nós.
      Eu nao sei como é se casar mais reze por mais pasciêcia, de mais uma chance.
      Se vc quiser falar pro seu marido que ele precisa de ajuda, ele simplismente vai te contrariar, sabemos da nossa dificuldade e nao precisamos de ninguem (mesmo q vc seja esposa, mae pai tio avó dele) para nos dizer o que fazer.
      De imediato ele vai te responder, com palavras q podem te machucar.
      Pegue um dia bom (geralmente comigo era depois de eu e minha namorada termos feito algo q so gente grande faz rs), e explique com calma e aquele tom d vóz q so vcs sabem fazer, o que vc sente.
      Fala q vc o ama muito, explique com calma, e tenta fazer ele pensar mais vezes antes de falar qualquer coisa.
      NAO DESISTA ! Podemos surpreender vcs em um dia qualquer, adorava enche-la com surpresas. E isso (na minha opiniao foi que segurou o namoro nesse tempo)

      ANDREIA:
      Isso é perfeitamente aceitavel, eu tambem nao conseguia fazer as lições, chorava por nao conseguir qndo menor, muitas vezes nao saia da primeira pagina do estudo, lia, relia novamente mas nao entrava.
      Pergunte para ela em um dia desses o que ela queria estar fazendo, faça alguma atividade q a deixe motivada, qualquer uma delas e depois volte aos estudos, procure uma psicologa isso ajuda nessa faze da vida

      Maria Obrigado pelo espeço nao sou ninguem para tentar ajudar os outros, tenho o mesmo problema deles, mas queria poder contar sobre as experiencias q fracassaram e que deram certo!
      E assim tentar ajudar à alguma tomada de decisao, preciso sair agora meu tempo acabou espero nao ter ofendido ninguem nem tomado o espaço de um profissional capaz de ajudar, desculpa alguma coisa ae mas me interesso e quero ajudar as pessoas, Tive em fazes de depressoes na minha vida, e venho superando-as constantemente, fazer o bem ajuda vc e os outros.

      Obrigado
      E nao pense em terminar todos os dias, tente procurar o que ele mais gosta de fazer, pessoas normais sao muito previsíveis fáceis na relação, eh simples ou elas estao com você ou nao estao.

    51. Patrícia disse:
      18 de outubro de 2013 às 16:08

      Oi Maria Teresa,
      Sou esposa de um TDAH. Todos os dias, simplesmente TODOS penso em deixá-lo. Estou há um ano casada, e estava muito apaixonada. Agora tudo mudou, a convivência está muito ruim, péssima qualidade. Não consigo avaliar se as atitudes dele é devido ao transtorno, mas tenho a sensação qu ele é ruim para mim, às vezes até um pouco sádico pois quando fico muito triste por causa de uma briga ele se põe a escutar música alta, assobiar. No outro dia esquece o que disse, as ofenças, não quer mais tocar no assunto. Ele teve muitos problemas na infância com o transtorno, expulsão da escola e até da própria casa. Quando eu falo no transtorno ele se ofende e diz que eu sou louca, tenho boderline. Estou bem desesperada, não sei onde isso vai chegar. Preciso de uma opinião. Grata

    52. ricardo Mendes disse:
      23 de setembro de 2013 às 14:33

      Ola Maria Teresa,

      Por favor poderia me indicar um profissional de TDAH em São Paulo, Obrigado.

    53. Andreia de Souza disse:
      2 de setembro de 2013 às 18:31

      Ola Tereza! Minha filha tem 13 anos e tem muita dificuldades na escola só tira notas baixissimas.Não gosta de ler,quando faz alguma leitura ,faz muito com pressa e acaba não entendo nada.Ela sofre muito bullyng na escola,diz que sofre muita humilhação.Mas a dificuldade no aprendizado e desde a primeira série.A professora disse que ela é inteligente .Mas ela mesmo me diz Mãe eu não consigo aprender.Tem horas que ela tem um comportamento estranho umas brincadeiras chatas e fica agitada.Procurei a escola e a coordenadora não deu muita atenção quando eu perguntei sobre esse assunto,sobre a dislexia .Quando minha filha vai fazer a tarefa de casa ela chora por não conseguir e eu acabo chorando também.Me de orientações de como procurar ajuda. eu levo ela na igreja e fico olhando ela .Ela não presta atenção,fica olhando para um lado pro outro pro teto e não como que esta ouvindo.Porque essa falta de concentração?Será que o assunto não é do seu intersse ou tem aguma dificuldades em ouvir ,se concentrar no assunto.Me ajude por favor.

    54. Renata Cristina disse:
      31 de agosto de 2013 às 12:07

      Eu tenho tdah a um tempo faço tratamento, porém nos últimos dias eu leio as matérias e não consigo entender o que eu li, vou em alguma palestra e quando saiu que vou discutir com as pessoas não me recordo de algumas coisas que elas dizem que foi falado na mesma. Isso é uma crise ou pode ser uma agravante do TDAH?
      Gostaria de receber a resposta em meu email.
      Att
      Renata

    55. Miriam disse:
      12 de junho de 2013 às 0:14

      Olá Maria Teresa!

      Gostei muito do texto e me identifiquei com várias partes e me sinto menos mal de saber que não sou a única pessoa assim. mas alguns sintomas meus são bem diferentes, por exemplo na escola ao invés de falta de atenção, sempre fui a melhor aluna, sempre com nota 10 e sempre tive metas de terminar os estudos fazer faculdade e ser uma profissional bem sucedida. mas nunca consigo terminar nada. Comecei a fazer jornalismo e parei, dezenas de cursos profissionalizantes até gratuitos e também parei, hoje estava na segunda faculdade e também tranquei. Me sinto péssima por ter 28 anos e nenhum projeto concluído.
      Sei que tenho potencial, mas sinto medo de na hora de executar não saber fazer ou fazer errado.
      Isso me frusta e angustia muito.

    56. Ana Paula Cristófori disse:
      7 de maio de 2013 às 13:14

      Olá Joice Lopes,

      tenho 29 anos e hoje sinto mais evidente os prejuízos da ansiedade. Não tenho diagnósticos, mas sei que possuo ansiedade excessiva, o que me fez trabalhar em 12 empresas em 14 anos de atividades profissinais.
      Hoje estou terminando a faculdade de Direito e descobri que não tenho a manor paciência para os livros e leitura das leis.. Me sinto péssima por estar chegando aos 30 anos e não estar estabilizada profissionalmente.
      Choro todos os dias e tenho visto minha auto-estima despencar. Meu noivo é um santo, me ouve, me consola, mas não sei se entende (de fato) minha situação..

    57. Maria Teresa Psi disse:
      24 de abril de 2013 às 10:29

      Olá Alice, respondi sua mensagem, mas retornou o e-mail. Favor confirmar o endereço correto do seu e-mail para mtrs.psi@terra.com.br. Aguardo você!

    58. alice disse:
      23 de abril de 2013 às 21:48

      quando minha neta tinha uns cinco anos eu achava ela muito agitda não parava brigava muito com as amigas do predio mas era amorosa e boa . eu fiquei então observando porque brigava porque ela não parava falava e não deixava outras crianças falar ou ela queria se o centro de tudo . eu sempre falava para minha filha mas ela não aceitava . depois levou em um psiquiatra e ele falou que ela tem tdah. enão fez nenhuma avaliazão.agora ela esta com 14 anos esta dando muito trabalho faz as coisas sem pensar . grita fala alto na rua eu queria uma resposta oque fazer levar aonde . me ajude por favor eu amo demais e tenho medo de drogas .

    59. Rubia disse:
      27 de março de 2013 às 19:37

      Minha filha tem 07 anos, e esta tendo muita dificuldade na escola a professora me falou que esta se distrai muito fácil e conversa bastante. Por este motivo nao esta conseguindo concluir as tarefas. Me lembro que eu era assim, o DDA e genético. Como posso ajudar minha filha, ela esta ficando com baixa estima.

    60. Henrique Mendes disse:
      24 de outubro de 2012 às 18:39

      Eu tenho TDAH,além da Depressão que o acompanha,além de ser portador do Panhipopituarismo idiopático,doenças comorbidas.
      E que causaram grandes e evidentes prejuízos a minha vida e em todas as esferas!
      Da minha família,sou o único que nasceu com panhipopituarismo,mas alguns não escaparam da depressão e alguns tem grandes chances de serem diagnosticados TDAH,assim como eu.

    61. JOICE LOPES disse:
      20 de agosto de 2012 às 15:16

      Olá Teresa,
      Fico impressionada de saber que não sou só eu que carrego a inquietude nas costas, tenho 26 anos e desde de sempre nunca consegui terminar nenhum projeto, hoje sou casada, trabalho , mais nunca consigo ficar em um emprego por mais que 1 ano e digo ainda que a maioria das vezes 6 meses.
      As pessoas acham que eu não quero trabalhar, mais não é nada disso.. Tem dias que não consigo ficar na mesma posição sentada na cadeira por mais de 1 min, isso me deixa vai me deixando estressada e acaba que não consigo me concentrar em 1 planilha… isso não porque não sei, mais porque não tenho paciência para nada, nunca fui mandada embora de empresa nenhuma, porém já pedi as contas de vários empregos por não ter paciência , ou com a rotina ou com alguém ou muitas vezes com situações difíceis que sempre acho que não daria conta, o problema é depois que a cabeça volta no lugar ai eu penso que poderia ter feito.
      Hoje faço faculdade de Jornalismo, então imagina o esforço sobre humano que não faço para aguentar ficar dentro da sala de aula
      Será que preciso tomar remédio? GOSTARIA MUITO DE CONVERSAR COM PESSOAS QUE ENTENDAM O QUE EU PASSO, MEU MARIDO SABE QUE SOU AGITADA, MAIS NEM IMAGINA O TAMANHA DO PROBLEMA.

      Obrigada

    62. Matheus Rodrigues disse:
      22 de fevereiro de 2011 às 12:06

      Ola Teresa, como vai?
      Desde criança percebo que eu era diferente dos outros, sempre o mais dispeso, nunca prestava muita atençao nos professores pois sempre achei que eu entendia oque ele falava antes mesmo dele terminar.Sempre notei muita inteligencia em mim, mas muita “preguissa”. Isso gerou muita dificuldade, pois nao parava quieto. Hoje mais velho, resolvi ir tratar desses sintomas e descobri que sou portado do TDAH. Estotu tentando ter mais cotrole quando percebo aquela ansiedade de querer cortar os outros, me controlo e espero ate o final, ate por que da a impressao de ser incoveniente. Fico muito bravo, é quando tenho otimo ideias, sonhos, metas, e nao consigo correr atras das minhas vontade isso esta fazendo com que me decepcione comigo mesmo.
      Agradeço o trabalho que esta fazendo, em passar a mensagem para as pessoas.
      Obrigado

    63. Eduardo disse:
      11 de janeiro de 2011 às 14:15

      Comigo o metilfenidato não causou qualquer tipo de ação. Benéfica ou maléfica. Nada. Isso me causou muita frustração, pois como bem disse o Maycow, realmente não tenho domínio da minha vida, ao menos para o que eu queria ter. E escuto ou leio outras pessoas dizerem que suas vidas mudaram pra melhor quando do uso da droga.
      Saber que criar um projeto pode me deixar rico, não é suficiente, pois há muito trabalho sacal para concluir este projeto e colocá-lo em prática. Tenho muitas ideias o tempo todo, mas colocá-las em prática é sacal demais, então abandono a ideia. Deixo de lado. Meses depois vejo outra pessoa implantando a mesma ideia e ficando rico. Fica claro pra mim, que tudo aquilo que nos causa prazer faz com que tenhamos hiperfoco, e tudo o que não nos causa prazer, desprezamos mesmo sabendo que poderíamos nos dar muito bem se fôssemos até o fim.
      Odeio esse distúrbio. Não sei como tratá-lo. Me sinto perdido com essa porcaria.
      Abraços.

    64. Maycow disse:
      14 de novembro de 2010 às 0:52

      Olá Maria Teresa,
      Gostei muito do texto que você escreveu, principalmente na hora do ” Mas, antes vou pedir que se concentre, mantendo sua atenção até o final. OK?”.
      Bom eu sempre desconfie que eu era diferente dos demais, quando estava na escola na hora que tinha que prestar atenção ficava imaginando como que era a vida de cada um, se passava alguem na porta eu olhava, um barulho qualquer me desconcentrava, porém nunca reprovei quando o bicho pegava eu me matava de estudar e passava.
      Sem contar a igreja que até hoje parece uma tortura eu até que queria prestar atenção na palavra do pastor como toda gente normal, mas não consigo.
      Depois de muito postergar e quando a situação chegou nO limite e procurei ajuda e deu que eu tinha TDAH, percebi o quanto eu não tinha domínio nenhum sobre minha vida que era decidida por impulsividade, hiperfoco e distração.
      Mas tenho certeza que meu tratamento ainda terá avanços significativos com muita força de vontade e fé.
      Agradeço a vocês pelo trabalho que realizam.
      Obrigado.

    Deixe um comentário